Uma das mais tradicionais lutas esportivas, o boxe agora também é fitness! Tanto que, cada vez mais, cresce adeptos da atividade em academias do Brasil. Mas, o que principalmente chama a atenção é a quantidade de mulheres que passaram a praticar a modalidade em busca de uma qualidade de vida saudável, tanto para a mente como para o corpo.

Entre um soco e uma esquiva, o corpo se movimenta fortalecendo a musculatura das coxas, glúteos e panturrilhas, além de auxiliar na queima das indesejáveis calorias. O boxe também é indicado para as mulheres que estão sempre com a vida agitada e corrida, já que é um esporte de intensa atividade, ajudando na redução da tensão do dia a dia. Para Fábio Reis, professor da modalidade, a procura pelo esporte para o público feminino se dá pelos benefícios que o boxe pode trazer ao dia a dia:

“O boxe é um esporte que traz um maior número de benefícios físicos, psicológicos. Ele ajuda na socialização do aluno, tem vantagens endógenas com a melhora da força muscular, resistência cardiorespiratória e flexibilidade. Além de mandar o estresse para longe! O aluno praticante ainda absorve outros benefícios com condições de melhorá-los e usar no seu dia a dia fora do local de treinamento, como a autoconfiança, disciplina, respeito às diferenças, percepção do próprio corpo e melhora da postura, desenvolvimento motor, desenvolvimento cognitivo, desenvolvimento social e emocional”, explica o profissional.

Qual deve ser a frequência no boxe para adquirir os benefícios?
Para o professor, o ideal é que seja de 1 a 5 vezes na semana, sem ultrapassar uma hora por dia, mas mesmo uma vez na semana é possível notar os resultados:

“Claro que alinhado à alimentação na medida do possível, pois os dois tem pesos diferentes para conclusão do seu objetivo (alimentação é 70% e o exercício é 30% ) que pelo que vejo o aluno faz o contrário, ele da mais importância ao treinamento do que na alimentação”, enfatiza o Fábio Reis.

Quais os cuidados devemos ter na hora de praticar boxe?
O profissional destaca alguns cuidados importantes para as praticantes de boxe. Confira!

– Cortar as unhas: A necessidade das unhas serem cortadas são devido ao simples fato de incomodar e atrapalhar na maioria dos exercícios, como na utilização da luva para os exercícios de manopla e trabalho de potência no saco de boxe.

– Limpar os equipamentos: Os alunos devem sempre lavar ou limpar os seus equipamentos individuais coma a bandagem, luva, protetor bucal e outros equipamentos que sejam seus, para não adquirir doenças de pele e outras patologias associadas à falta de higiene do equipamento.

“Se o aluno for de aula coletiva e usar os materiais emprestados no local, alguém deve fazer a limpeza dos equipamentos então se você um é aluno de aula coletiva preste atenção se os equipamentos estão sendo limpos”, destaca Fábio Reis.

– Alimentação equilibrada: A alimentação é o ponto chave para qualquer atividade física: “Devemos ter uma alimentação saudável, pois se comermos alimentos de má qualidade estaremos formando um corpo fraco de maneira geral, tornando aberta uma porta para lesões e patologias, sendo assim o aluno que treina e não se alimenta direito esta caminhando para lado errado”, explica o professor.

– Hidratação: Manter o corpo hidratado é importante para que o nosso organismo reaja de maneira correta aos estímulos que estão sendo propostos: “Uma coisa que eu sempre falo para os meus alunos é que a água é responsável por inúmeros processos bioquímicos dentro do nosso corpo e se não bebermos no mínimo 2 litros de água por dia os desejos dele ficam difíceis de serem alcançados. O aluno também deve estar atento para saber se ele esta apto para fazer a atividade que ele deseja, por isso ele deve ir ao médico”, analisa Fábio.

– Atenção à execução dos movimentos: A execução inadequada do movimento em uma aula, pode gerar lesões: “Deve-se ficar atento às correções e recomendações e reproduzí-los durante a aula para não haver problemas futuros e acima de tudo, deve ficar atento para saber o que acontece no seu corpo e falar para o professor se ele sentir qualquer desconforto que esteja tornando o movimento desconfortável”, finaliza o profissional.