A Associação Cano de Judô volta a ser representada em um torneio oficial no calendário nacional. Os judocas Breno Dias e Ana Beatriz Cano disputam em Blumenau-SC o Campeonato Brasileiro de Judô Sub-15, competição que começou neste sábado (1) leva os melhores para o Sul-Americano e o Pan-Americano, disputado nesta temporada em Guayaquil, no Equador.

Organizado pela Confederação Brasileira de Judô com apoio da Federação Catarinense, o Brasileiro reuni cerca de 370 atletas de 26 estados no Ginásio Galegão. No sábado acontecem as disputas nas categorias superligeiro, Ligeiro, Meio-Leve e Leve. Domingo (2) entram no tatame Meio-Médio, Médio com a Ana Beatriz, Meio-Pesado, Pesado com o Breno e Superpesado.

A dimensão e importância da disputa não assusta os douradenses. No ano passado, Breno conquistou a medalha de ouro em Lauro de Freitas-BA e depois se tornou o atual campeão Pan-Americano Sub-13, em Lima, no Peru. Ana também esteve na Bahia e terminou com a quinta posição, perdendo a disputa pelo bronze.

Agora no Sub-15, os dois lideram o ranking sul-mato-grossense em suas categorias e esperam estar também entre os melhores em Blumenau, mesmo que esse seja o primeiro ano de ambos nesta faixa etária. “A classificação deles para o Brasileiro no primeiro ano de Sub-15 já foi um feito e mesmo enfrentando agora adversários que na sua maioria estão estourando a idade acreditamos em bom resultado”, avalia o Sensei Alexandre Cano, responsável pela preparação dos judocas.

Busca por medalhas

Estar no pódio é o foco da dupla e a confiança no bom resultado está na preparação feita durante todo o ano. “Estou treinando desde janeiro, mantendo peso e focada nesta competição. Vou dar o meu melhor para voltar com medalha”, diz a peso-médio Ana Beatriz. O discurso de Breno vai de encontro com a da colega. “Acho que nunca estive tão bem preparado para uma competição como agora”, resume o judoca peso pesado.

Para Cano, o retorno com medalha e até vaga em competições internacionais será questão de detalhes inerentes à competição. “Ano passado eles foram muito bem, treinaram demais, mas desta vez eles estão mais maduros, é um outro estágio na preparação de atletas de alto nível que, com certeza, eles serão. Eles já perceberão que não adianta enrolar nos treinos que chegando nas competições vão ser batidos. Eu disse que se não atingirem medalhas é porque enfrentaram alguém que treinaram tanto quanto eles, mas que souberam aproveitar melhor as oportunidades. E se perderem será com a cabeça erguida e conscientes de que fizeram toda a preparação da melhor maneira possível”, afirma.